Chamada de trabalhos para o quinto número da revista on-line

Revista Épicas dedicado a "A Ásia épica"

Coordenação do número:

Anna Beatriz Paula (Universidade Federal do Paraná)

Claudine Le Blanc (Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3)

Dossiê temático: “A Ásia épica”

 

Existe algum sentido em se pensar sobre a epopeia dentro do espaço asiático, onde há áreas notavelmente ricas em tradições épicas (Pérsia, Índia, Ásia Central, Tibete, Sibéria, Japão, etc.) e também a China, muitas vezes citada como um exemplo de civilização sem epopeia? A amplitude e a diversidade das produções épicas na Ásia foram consideradas, como sabemos, a partir da ideia do "épico oriental" apreciada no século XIX, que se referia muitas vezes a épicos antigos (Gilgamesh, epopeias sânscritas). Se foi possível publicar um volume sobre Les épopées d’Afrique noire (Kesteloot e Dieng, 2009), com as produções épicas asiáticas não ocorreu o mesmo: presentes várias delas em obras coletivas com viés comparatista (Labarthe, 2004, Feuillebois-Pierunek, 2011), elas permanecem excluídas do Cambridge Companion to the Epic (2010) – com a notável exceção de Gilgamesh – e não dão origem, em qualquer caso, a uma reflexão específica.

 

O mundo asiático, no entanto, apresenta um caso notável de difusão épica, o do Rāmāyaṇa indiano no Sudeste Asiático e na Indonésia, exemplificando a unificação de um vasto espaço por meio da epopeia, que contém, ela própria, uma história de viagem (ayaṇa), e cuja difusão leva à metamorfose.

 

Assim, a partir do caso da Ásia, gostaríamos de questionar a relação mantida pela epopeia com aspectos como o deslocamento, a migração, a mobilidade geográfica e a configuração do espaço, e, a partir dela, refletir sobre a questão da escala na análise das epopeias: o que sentido dar aos espaços percorridos nos textos? Como esses sentidos se articulam com o espaço percorrido pelos textos?

 

É pela pertinência de um pensamento geográfico no gênero épico que o número 5 da revista Revista Épicas gostaria de se dedicar de forma privilegiada às tradições épicas do mundo asiático, que são numerosas, mas frequentemente pouco consideradas em sua singularidade.

 

Várias pistas podem ser exploradas nesta perspectiva:

 

- A Ásia (ou um espaço asiático) como um lugar diegético nas tradições épicas, tanto ocidentais (de Alexandre a Uma Viagem à Índia de Tavares) como extra-ocidentais;

- a representação do espaço e do deslocamento nas epopeias da Ásia;

- a circulação das tradições épicas na Ásia, tanto as orais quanto as impressas;

- a identificação das especificidades temáticas ou formais das tradições épicas asiáticas;

- a tematização de uma especificidade cultural na modernidade épica (ou, pelo contrário, sua dissolução, hoje, em uma patrimonialização ambígua, como a da epopeia tibetana Gesar de Gling).

 

O prazo para o envio de propostas de artigos (revistaepicas@gmail.com), numa das línguas do CIMEEP, é 15 de dezembro de 2018. O limite máximo é de 40.000 caracteres com espaços. Devem vir acompanhados de um resumo em inglês e na língua do artigo. Agradecemos que respeitem as normas para colaborações, que podem ser consultadas no site www.revistaepicas.com.

Todos os autores receberão uma resposta final do Conselho Editorial até 15 de abril de 2019; e a publicação on-line está prevista para 30 de junho de 2019.